Mumbai, muita Índia por m²

Passados 3 meses no paradisíaco estado de Kerala, rumamos para o nosso último destino na Índia: Mumbai. Quando compramos as passagens para a nossa jornada, tivemos a oportunidade de chegar por uma cidade (Delhi) e sair por outra (Mumbai), o que nos proporcionou conhecer mais um pedacinho da Índia.

DSC_6118Muito trânsito!

Mumbai é a metrópole mais populosa da Índia, com 12 milhões de habitantes se espremendo nas ilhas que formam a cidade. É aqui onde ficam os estúdios de Bollywood, a principal indústria cinematográfica do país. A cidade nos lembrou muito o Rio de Janeiro, com muitos bairros pobres (favelas), áreas belíssimas junto ao mar e grandes centros de produção televisiva e cinematográfica. Os grandes artistas do país moram e trabalham em Mumbai, o que talvez influencie na pegada mais descolada da cidade. Aqui o inglês é mais falado, a licença para venda de bebidas alcoólicas é mais fácil e a moda se aproxima mais do ocidente.

DSC_6050Comércio, comércio, comércio.

Como estávamos no final da nossa jornada, o dinheiro já era contado rúpia por rúpia. Escolhemos então um hotel de baixo custo para nossa hospedagem. Ficamos em Pydhonie, um bairro muçulmano onde o comércio de rua acontece 24 horas e cada espacinho dos prédios é ocupado por pequenas empresas de confecção. Nosso hotel ficava no 4º e 5º andares de um prédio tomado por estas confecções. Embora nosso quarto fosse razoável (justo pelo preço cobrado) o prédio e o entorno eram bem intimidadores. Milhares e milhares de pessoas circulando pelos corredores apertados e um movimento intenso de entrada de tecidos e saída de roupas, pashminas e outros produtos têxteis da Índia. A faxina passava longe e o ambiente era bastante escuro e sujo. Os restos de tecido conviviam com os costureiros e seus cigarros, o que dava um medo imenso de acordar com o prédio pegando fogo (o que ainda bem, não aconteceu). O primeiro dia de hospedagem foi sofrido, depois acostumamos.

ÀDSC_5903Rua de Pydhonie.  À noite o movimento diminui…
DSC_5930Em cada sala, muitos indianos trabalham na costura.

Nosso primeiro destino na cidade foi a Chowpatty Beach, uma praia localizada na Marine Drive, avenida beira-mar super visitada em Mumbai. A praia era bastante suja, mas muitos indianos se arriscavam nas águas. Sentamos na areia e observamos o Sol se pondo, agradecidos mais uma vez pela oportunidade de estar observando o Oceano Índico. Fomos então à um café na beira-mar para tomar um cervejinha. Ficamos felizes pois o local estava repleto de mulheres se divertindo com as amigas e amigos, muitos casais, todos curtindo e cantando com o altíssimo som que vinha da jukebox.

DSC_5762A poluída Chowpatty Beach.
DSC_5772Mais uma vez o Sol se pondo e o Oceano Índico.

No dia seguinte, fomos para a região de Colaba, na busca por lembrancinhas para os amigos que nos apoiaram na jornada e de artesanatos e bugigangas para a nossa casa. A experiência é muito intensa. Como o bairro é turístico os preços são todos salgados, pois para alguns visitantes (principalmente europeus) mesmo inflacionados os itens ainda são baratos. Nós já estávamos vacinados e a pechincha foi nosso método. Em 90% das vezes, conseguíamos pagar metade do preço inicial dizendo que éramos brasileiros (Neymar! Pelé! Ronaldo! Sorriso!). Em uma das compras o preço inicial de um item era de 1500 rúpias, acabamos levando três unidades por 1000, uma loucura! Ainda na região visitamos o India Gate, um dos principais pontos turísticos da cidade, que surpreendentemente não cobrava ingresso.

DSC_6043Produtos e mais produtos.
DSC_5817India Gate, pronto para receber as comemorações do aniversário de Gandhi.

Outro local que visitamos em Mumbai é o CST – Chhatrapati Shivaji Terminus, o principal terminal ferroviário da cidade. Dali chegam e partem trens para toda a Índia, o que proporciona cenas inesquecíveis pela quantidade de humanos que ali circulam. Dedicamos algumas horas na visita e tiramos muitas fotos. O entorno da estação é lindíssimo, com diversos prédios antigos, nos lembrando muito o centro de Santiago, no Chile.

DSC_6084A luz se esgueira para dentro do Chhatrapati Shivaji Terminus.

Mumbai é uma metrópole insana, como muitas outras no mundo. Como é um dos principais pontos de entrada e saída do país, tem um potencial enorme de desenvolvimento do turismo, embora ainda haja muitas dificuldades na locomoção pela cidade (a maioria dos táxis simplesmente não aceita corridas com estrangeiros). Já estávamos em clima de despedida e preocupados com o retorno, então a experiência em Mumbai pode não ter sido tão profunda como as anteriores, mas certamente nos marcou e jamais será esquecida.

DSC_5995Janine no entorno do Chhatrapati Shivaji Terminus.

Ps.: Embora Mumbai tenha sido nosso último destino na Índia, ainda teremos posts sobre as experiências que vivemos nessa jornada. Fiquem ligados!

Ps2.: Para mais fotos de Mumbai acesse nossa Galeria de Fotos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s